RESPOSTAS ESTRUTURAIS DO XILEMA DE EUCALYPTUS ÀS DIFERENTES CONDIÇÕES HÍDRICAS

Nome: Ana Paula Câmara da Silva
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 20/02/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Graziela Baptista Vidaurre Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Edgard Augusto de Toledo Picoli Examinador Externo
Graziela Baptista Vidaurre Orientador
João Vitor Toledo Examinador Externo
Jordão Cabral Moulin Examinador Externo
Róger Moya Roque Examinador Externo

Resumo: O gênero Eucalyptus abrange uma grande faixa de ocorrência natural, o que o qualifica seus genótipos a crescer e se desenvolver em grande parte do mundo. Além de possuir características anatômicas desejáveis para o setor já estabelecido e em expansão de papel e celulose. Neste contexto, entender as interações de ambiente e genótipo é de importância ecológica e industrial, uma vez que o clima está em mudança. O objetivo do trabalho foi avaliar as estratégias adaptativas dos traços do xilema de clones de eucalipto em diferentes ambientes com exclusão de 33% da chuva e relacionar de forma anual com as variáveis meteorológicas, a fim de prognosticar os ajustes hidráulicos frente às mudanças climáticas. Foram analisados dois materiais: Eucalyptus urophylla e E. grandis x E. camaldulensis aos seis anos, em 4 sítios do Brasil distribuídos em gradiente de chuva, em duas condições hídricas: com 100% de água (W) e com exclusão de 33% da chuva (WE). Os sítios e a exclusão exerceram efeito sobre os traços da madeira. Estratégias de ajustes hidráulicos foram adotadas com maior ocorrência de tilose e trade off entre diâmetro e frequência de vasos. O E. grandis x E. camaldulensis demonstrou o maior número de traços alterados (10/13) e com cerca 9% a mais de proporção de alburno. As correlações de Pearson entre fatores meteorológicos e traços da madeira evidenciam diferentes interações nos comportamentos interespecíficos, assim como pela condição de disponibilidade de água. Na estimativa de TWV, a temperatura do ar esteve presente em todas as equações. Estudos desta natureza fornecem um conhecimento da dinâmica entre madeira-clima em redução de 33% da chuva, o que tem implicações na seleção direta de sítios de cultivo e indiretamente nos traços manipulados nos programas de melhoramento frente as mudanças climáticas.

Palavras-chave: Interação genótipo-ambiente, Exclusão de chuva, Arquitetura de vasos, Densidade da madeira, Cerne e alburno

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910